Atletismo: Parte II do "show" Bolt

Ninguém parece capaz de se chegar perto de Usain Bolt

O dia de hoje promete grande espectáculo com as finais de 200 e 800 metros e, ainda a final do Triplo Salto Masculino. Fique com uma ideia do que poderá suceder.

Rudisha está imparável, continua imbatível e tem as quatro melhores marcas da época, incluindo as duas vezes em que correu em menos de 1.42.

Record do mundo nos 800 metros com quotas de 14.013/1

200 metros masculinos
É difícil imaginar que Usain Bolt 1.241/4 falhe esta noite na prova dos 200 metros. Yohan Blake 7069/1 será prata com toda a probabilidade, e vejo a possibilidade de Christophe Lemaitre conseguir o bronze. A sua corrida em Crystal Palace há um mês foi a melhor de qualquer atleta não jamaicano, nesta distância, durante todo o ano. Contudo, não vejo apostas atractivas nesta corrida.


800 metros masculinos

David Rudisha 1.081/12 é um fenómeno. Bateu um recorde do mundo bastante antigo com 21 anos, e ganhou o Mundial de Daegu apesar das lesões sofridas nos meses anteriores. Este ano está imparável, continua imbatível e tem as quatro melhores marcas da época, incluindo as duas vezes em que correu em menos de 1.42. Isto indica-nos que está na melhor forma possível para superar o seu próprio record mundial de 1.41.01.

A tradição diz-nos que os atletas de fundo já não atingem as melhores marcas nos grandes campeonatos. Mas penso que Rudisha não esperará como os outros, e se reunirem as condições alcançará o seu recorde com toda a sua força. Se apostar nele, acho que tem sérias hipóteses de conseguir, pelo que seguirei esta corrida com muito interesse, uma vez que a probabilidade é atractiva 1413/1.

Não tem sentido apostar em nenhum atleta que não seja o Rudisha, porque apenas um erro da sua parte ou algum tipo de acidente podem evitar a sua vitória. Os outros candidatos são Abubaker Kaki, segundo no Mundial do ano passado, Mohammed Aman e Nijel Amos, mas quero ver do que é capaz o queniano de 17 anos, Timothy Kitum, que foi segundo depois de Amos no Mundial júnior do ano passado, e não necessita de muito para estar presente na cerimónia de entrega das medalhas. A dúvida será se estes atletas irão tentar aguentar Rudisha ou optam apenas por lutar pela prata. Se se verificar a segunda opção, muitos atletas são candidatos.

Triplo salto masculino
Como actual campeão mundial e recordista mundial do ano, Christian Taylor é o grande favorito nesta prova. É jovem, aguenta bem a pressão dos grandes encontros e é capaz de superar os 18 metros na final. Mas não me emociono muito com a sua probabilidade de 1.654/6. Este valor dá-se pela ausência de Teddy Tamgho que foi sancionado por um período de seis meses devido a um incidente com uma atleta, e de Phillips Idowu que nem se quer se classificou para a final. O adversário directo de Taylor é William Claye 7.06/1, mas seguirei com o máximo interesse a competição de Lyukman Adams 18.017/1, imbatível ao ar livre este ano, que é já uma celebridade na Rússia por ser o seu primeiro atleta olímpico de cor.

Apostas Recomendadas:
Record do mundo nos 800 metros com quotas de 14.013/1
Timothy Kitum medalha nos 800 metros com quotas de 6.611/2
Luykman Adams medalha no triplo salto masculino com quotas de 4.03/1