Apostas.Betfair

Apostas Previsão NBA 2017/2018: Verão tranquilo de Golden State pode fazer a diferença

Ver mercado

Uma explosiva off-season de NBA, com imensas mudanças e parcerias de sonho, parece ter colocado o título um pouco mais imprevisível. Mark Kirwan da Betfair oferece-nos as melhores apostas para a campanha de 2017-18 que está prestes a começar...

"Para Golden State, o seu verão sereno contrastou com a azáfama noutros locais. Durant e Curry ambos prolongaram os seus contratos, e os Warriors conseguiram manter um vasto leque de jogadores de suporte, incluindo Andre Iguodala e David West, enquanto acrescentaram profundidade ao seu banco."


Candidatos ao Título

Conferência Oeste

Antes da troca de Carmelo Anthony, a lama da época passada tinha em OKC tinha sido extraída pela chegada de Paul George. A sua versatilidade como unidade atacante e defesa de elite tornaram-no num dos jogadores mais cobiçados da off-season. A "trade" de George catapultou uns Thunder pós-Durant de uma equipa provável nos palyoffs para uma provável candidata ao título. Com a entrada de Anthony, outro All-Star, a equipa dos Thunder pode transformar-se nos próximos anos.

Estas trocas já convenceram Westbrook a assinar uma extensão de contrato de cinco anos. Podem estas três estrelas construir um entrosamento para desafiar o reinado dos Warriors? Se conseguirem, dias birlhantes se avizinham em Oklahoma City - estão a [20.00] para conquistar o campeonato.

As diversas mexidas em OKC ofuscaram o ímpeto dos Houston Rockets. A chegada de Chris Paul, que fará dupla com o vice-MVP James Harden, seria a movimentação mais sensacional numa offseason normal. Isto adiciona qualidade ao seu já potente ataque, enquanto PJ Tucker e Luc Mbah a Moute devem melhorar o jogo defensivo que precisa de dar um passo em frente se os Rockets quiserem brilhar este ano.

Se os egos o permitirem, os Rockets [18.50] devem entrar na disputa pelas finais da Conferência Oeste pelo menos. A chegada de Paul pode ofuscar a caminhada dos Clippers esta época, mas eles continuam na luta pelos lugares de playoff. Qualquer equipa sente dificuldades em substituir um jogador de elite, mas, em Patrick Beverley eles têm fiabilidade em termos de presença defensiva, e no sérvio Milos Teodosic, contratado ao CSKA de Moscovo, podem ter um diamante a lapidar.

Danilo Gallinari chega de Denver e, com Blake Griffin e a máquina ressaltadora DeAndre Jordan a regressarem, a saida de Paul não significa que os Clippers percam toda a competitividade.

Em sentido inverso, San Antonio [26.00] esteve muito quieto na offsesaon, e a tentação de os afastar da lista de pretendentes cresce a cada ano. Tony Parker, com 35 anos, estará ausente até Fevereiro. Manu Ginobili está de volta aos 40 anos após um verão a brincar com a sua retirada, e ele faz Pau Gasol parecer jovem aos 37. LaMarcus Aldridge, uma das suas jovens estrelas, precisa contribuir mais após duas épocas decepcionantes.

O facto dos Spurs terem mostrado interesse em Paul e George mostra que precisam de reforços. E ainda assim, venceram 61 partidas na última época, e só a estranha lesão de Kawhi Leonard no Jogo 1 das finais de Conferência Oeste os imprediram de vencer convicentemente em casa dos Warriors.

Eles devem continuar a ser competitivos com Leonard de volta à equipa, e ele tem oportunidade de dominar como Westbrook fez na época passada.

E depois temos o elefante azul, dourado e branco na casa.

Para Golden State [1.62], o seu verão sereno contrastou com a azáfama noutros locais. Durant e Curry ambos prolongaram os seus contratos, e os Warriors conseguiram manter um vasto leque de jogadores de suporte, incluindo Andre Iguodala e David West, enquanto acrescentaram profundidade ao seu banco.

Após as renovações de contrato com as suas duas maiores estrelas, as preocupações de GSW parecem remeter-se à saúde do seu treinador Steve Kerr, e aos tweets não muito anónimos de Kevin Durant. Eles continuam a ser o alvo a abater.


Conferência Este

A mudança mais significativa a Este envolveu as duas melhores equipas, com Boston [14.00] e Cleveland [6.60] a trocarem estrelas. Kyrie Irving, a mão direita de Lebron desde o seu regresso aos Cavs, cansou-se de ser sombra a requereu uma trade.

Para surpresa de muitos, os Celtics desejaram ver-se livres do seu base estrela Isaiah Thomas, portanto o negócio foi concluído. De preocupar para Cleveland é o facto de Thomas poder estar ausente até Janeiro com um problema físico, e para os Celtics o facto de terem permitido que a cara da sua jovem equipa tenha saído. Haverá problemas com a saúde de Thomas a longo termo?

Gordon Hayward junta-se a Irving na mudança para Boston, e o seu anunciado divórcio com Utah foi finalmente consumado. Tendo em conta as peças que estão a reunir, e as mudanças em Cleveland, Boston tem potencial para superar os Cavs novamente na época regular, e quem sabe também nos playoffs.

O plantel de Cleveland seria quase imbatível há cinco anos atrás. Derrick Rose e Dwyane Wade chegaram para apoiar Lebron, e (suspira-se) que para o motivar a prolongar o contraro para além de 2018. Eles também têm o plantel mais velho da liga com uma média de 30 anos. A chegada de Jae Crowder oferece uma versátil presença defensica, embora a lesão de Thomas lance alguma incerteza neste início de temporada.

Com tantas caras novas, Cleveland pode não ser o melhor investimento para nº1 a este, mas eles continuam a ser uma força a ter em conta quando chegarem os playoffs. Afinal de conta, eles ainda têm LeBron.

Washington [70.00] representa a mais provável ameaça a Boston e Cleveland a Este, com a sua estabilidade como um ponto atrativo. John Wall assinou por mais quatro anos, e o free agent Otto Porter também voltou a assinar pela equipa. Wall, Porter e Bradley Beal formam um conjunto de jovens jogadores à roda do qual os Wizards podem construir uma equipa com ambição.

As peças de apoio são o veterano Marcin Gortat, assim como Markieff Morris e Kelly Oubre. Se os Wizards têm uma fraqueza é a profundidade do seu roster.


Candidatos aos Playoffs

É difícil olhar para Minnesota, que terminou em 13º a Oeste no último ano, como candidato, mas a sua contratação de Jimmy Butler este verão, juntando-o a Karl-Anthony Towns e Andrew Wiggins, tem de ser tida em conta. O treinador Tom Thibbodeau conhece Butler dos Bulls, mas não há garantias de que estas peças lutem em conjuntos em Minneapolis. O mais encorajador é que estão a mostrar ambição e, numa Conferência oeste tão competitiva, isso pode fazer a diferença.

No Este, Milwaukee atingiu os playoffs na última época, mas pretende melhorar o seu registo e pode causar problemas no playoff às equipas mais fortes. Giannis Antetokounmpo pode ser um potencial MVP a [9.60], e eles esperam ter Jabari Parker recuperado de nova lesão no joelho, o que lhes dá margem para melhorar.

Eles poderão lutar com os Raptors. Toronto manteve a sua estrutura, com Kyle Lowry regressando de lesão com contrato prolongado, Serge Ibaka re-assinando, e DeMar DeRozan vindo da sua melhor época na liga. CJ Miles espera poder ser titular após transitar dos Pacers, no entanto perderam PJ Tucker, DeMarre Carroll e Patrick Patterson.

Uma equipa que vale a pena uma olhada é os Charlotte Hornets, que assumiram o risco de apostar em Dwight Howard. A ele juntam-se Kemba Walker, Nicolas Batum e prossivelmente um Michael Kidd-Gilchrist em condições para fazer deles uma equipa surpresa este ano. Miami também encontrou a melhor forma na segunda metada da última época, e pretende emergir da era pós-James após alguns anos de sofrimento.

E se a Este tudo parece em aberto, a Oeste será uma luta de cães. Os Jazz perderam Gordon Hayward e George Hill mas ganharam Ricky Rubio, Thabo Sefolosha e Jonas Jerebko, portanto pretendem atenuar as saídas com o seu muro defensivo comandado por Rudy Gobert.

Eles estarão na luta com equipas como New Orleans, cujas torres gémeas Anthony Davis e DeMarcus Cousins precisam de começar a mostrar serviço antes do contrato de Davis se aproximar do fim.

Portland procura replicar a forma que lhes permitiu intormeter-se nos playoff na última época, e Memphis está claramente a sinalizar um período de mudança após algumas saídas. Marc Gasol e Mike Conley continuam, mas a mudança para um estilo de jogo mais aberto oferece riscos. Denver, com a assinatura de Paul Millsap, pode ser uma equipa para capitalizar se algumas sentirem dificuldades, depois de falhar os playoffs no último ano.


Mediocridade da Mid-Conference

Os adeptos Philly procuram tornar-se duma equipa medíocre com a sua transição do "The Process" numa equipa mais competitiva este ano. O talento que reuniram irá começar a mostrar-se em breve, ou o cinismo e sofrimento dos últimos anos terá sido em vão. A saúde de Embiid e a muito esperada estreia de Simmons serão cruciais, e se os jovens jogadores se entrosarem, eles podem lutar pelos playoffs.

Detroit procura melhorar em relação à última época com a sua reconstrução a pagar dividendos. A chegada de Avery Bradley de Boston pode ajuda-los nesse processo. Os Laker também devem melhorar, com Brook Lopez a juntar-se a uma equipa de jovens talentos inexperientes liderados pelo rookie Lonzo Ball. O problema para eles pode ser se todas estas peças interessantes não resultarem num bom conjunto, e as luzes da ribalta de jogarem em LA pode exacerbar as dificuldades.

Em Sacramento, há claramente um plano, com veteranos como Geoffrey Hill e Vince Carter a chegarem para apoiar Buddy Hield no seu ano de sophomore. Os Kings podem ter um registo pior este ano após as saídas de DeMarcus Cousins, Rudy Gay e Darren Collison, mas também não devem ser últimos.

Os Mavericks contam com o regresso de Dirk para a sua 20ª temporada, e com o base Dennis Smith Jr podem ter assegurado a grande pérola do draft. Estes dois factos não chegam para ter uma ideia do que Dallas pode valer este ano, e podem ser realmente maus se tiverem algumas lesões.

Eles são, tal como os Knicks, uma equipa que irá beneficiar de ser pior. Em Madison Square Garden respira-se de alívio após a saída de Phil Jackson, e Porzingis e seus companheiros podem ser suficientes para evitar a agonia de ficarem entre os quatro piores. Orlando é uma equipa que define a incerteza de Este, já que pode terminar entre o 7º e o 15 lugar, mas deve ter o suficiente para evitar ficar tão mal quanto na última época.


Candidatos à Lotaria

As movimentações que reforçaram o Oeste originaram sofrimento a Este. Bulls, Hawks e Pacers destacam-se pelo talento que perderam, e Brook Lopez foi enorme numa má equipa dos Nets no ano passado.

Chicago lidera os mercados, com a sua previsão de vitória para a época a rondar os 22 triunfos. Butler foi transferido, Rondo e Wade libertados, e Justin Holiday parece regressar para liderar a equipa em 2017-18. Nikola Mirotic e o lesionado Zach LaVine são dois jogadores que precisam de mostrar serviço se os Bulls quiserem contrariar as expectativas.

Atlanta está igualmente desertada, com saídas importantes - Millsap e Hardaway saíram, Dwight Howard foi negociado para Charlotte - e poucas entradas para as colmatar. Eles atingiram os playoffs em dez temporadas consecutivas. Não apostes neles para conseguirem a 11ª.

O plantel dos Pacers saiu em debandada após a decisão de George em abandonar a equipa. Tendo em conta esta sangria, eles tiraram o melhor partido da situação, recrutando o possível e começando a olhar o futuro. No curto prazo, espera-se muito sofrimento em Indiana.

Finalmente, se Tyson Chandler, Eric Bledsoe ou Jared Dudley forem negociados para candidatos a playoffs, os Suns terão de se aplicar na reconstrução e devem sermais um candidato ao último lugar.


Campeão 2017-18 da NBA - Golden State Warriors [1.62]

Atualmente cotados a [1.62] no intercâmbio, é difícil afirmar que se trata de uma aposta de valor, mas os Warriors devem mesmo vencer o seu terceiro campeonato em quatro anos devido à profundidade do seu talento, o seu monstruoso cinco inicial, e a experiênica que já vão tendo com épocas longas.

Os problemas potenciais na sua caminhada incluem a eventual ausência de Kerr, lesões que são sempre possíveis (não esqueças os tornozelos de Steph Curry), e o possível desgaste de chegar pela quarta vez seguida às Finais.

Em termos de desafios, OKC está a [20.00], mas Houston a [18.50] é a minha opção preferida tendo em conta a tendência para melhorarem defensivamente. Independentemente do que aconteça, é da Conf.Oeste que deve surgir o o vencedor do título.

De uma perspectiva puramente de valor, Washington pode ter o preço mais apelativo a [70.00] no Intercâmbio com o pensamento no Cash Out, já que as mudanças em Boston e Cleveland podem criar alguma tensão inicial, e o seu roster promissor será finalista de Conferência em breve. Eles estão disponíveis a [11.50] para vencer o título da Conferência Oeste.


MVP - Kawhi Leonard [6.00]

Esta é a oportunidade de Leonard, com o peso da organização dos Spurs a continuar a crescer sobre os seus ombros. Um possível problema é a rotação de jogadores de Gregg Popovych na época regular, que pode impedir a candidatura de Leonard, mas isso não o impediu de terminar em teceiro nas votações do último ano.

Se ele tiver de carregar os velhos spurs esta época, ele pode ter aspirações legítimas. O preço atual disponível no Intercâmbio parece curto a [6.00] tendo em conta os competidores e o quão aberta será esta luta, mas ele tem a capacidade e as circunstâncias parecem estar a linhar-se para ser um dos seus focos.

Anthony Davis é uma opção interessante a [24.00] no Intercâmbio, com New Orleans apostada em chegar aos playoffs esta época, e Davis irá liderar essa conquista. Se Washington também estiver forte, John Wall pode merecer uma aposta a [24.00] também.


Rookie do Ano - Lonzo Ball [3.25]

Os Lakers irão ter maior cobertura do que merecem, e quando um rookie tão extrovertido quanto Ball se encontrar em todo aquele glamour, parece uma tempestade perfeita, permitindo-lhe dar nas vistas. Eles está atualmente a [3.25] no Intercâmbio.

Dennis Smith Jr [4.10] de Dallas e Jonathan Isaac [15.00] dos Magic são dois nomes a ter em conta. Smith deve ter tempo de jogo num cinco inicial que precisa começar a preparar o futuro, enquanto a direção de Orlando é tão incerta que há uma grande oportunidade para um rookie talentoso mostrar serviço e reclamar tempo de jogo com as suas exibições.

Ver mercado
More Basquetebol