Apostas Giro D'Italia 2019: Nibali com maior valia do que Dumoulin

A experiência de Vincenzo Nibali poderá ser preciosa neste Giro de 2019

Teremos uma parada de estrelas no Giro deste ano, escreve Jack Houghton, que recomenda ficar do lado da experiência de Nibali em vez da juventude do trio de favoritos...

"Muitos fãs do ciclismo vêem este contingente como um dos mais entusiasmantes em recentes grandes voltas, pelo que se prevê que seja um dos pontos altos da temporada ciclística de 2019."

Que tipo de percurso teremos?


Brutal. Os ciclistas começam este Sábado, 11 de Maio, com um prólogo de 8kms que sai de Bolonha e acaba perto de San Luca e, à sua espera no final desse percurso estará a diabólica ascensão do Colle della Guardia, uma subida de dois quilómetros com pendentes que chegam aos 16% em algumas secções. As diferenças de tempo não serão assim tão significativas em tão curta distância, mas a mensagem para os competidores é clara: nada será fácil neste Giro.

Posto isto, teremos mais 20 etapas (duas delas de contra-relógio), com sete finais em alto pelo caminho. Tudo isto será percorrido em crescendo com uma semana final que será absolutamente intensa e deverá levar ao abandono da maioria dos sprinters após a Etapa 12. É difícil escolher uma etapa chave nesses dias finais, mas as subidas concentradas da Etapa 14 poderão deitar as esperanças de muitos por terra, e o monstro da etapa 16 de 226kms poderá acabar com mais alguns. Se tivermos um trepador com a Camisola Rosa á entrada do último dia, ele também terá de defendê-la frente aos mais rápidos ciclistas na etapa final que será de contra-relógio.

A mensagem chave é esta: teremos um percurso duríssimo.

Quem são os principais favoritos?


Como sempre, a maioria da imprensa internacional terá maior atenção ao Tour de France, que se inicia apenas em Julho, mas muitos fãs do ciclismo vêem este contingente como um dos mais entusiasmantes em recentes grandes voltas, pelo que se prevê que seja um dos pontos altos da temporada ciclística de 2019.

Mesmo com as recentes notícias do abandono de Egan Bernal (com uma clavícula fracturada, deixando a Team Ineos (ex-Team Sky) sem um claro candidato à Geral), o leque de candidatos é alargado.

Simon Yates 4.707/2 regressa após ter liderado a prova por tanto tempo no ano passado. Assistir à sua dramática quebra em 2018, levou-nos a assumir que uma corrida de três semanas seria sempre demasiado para o seu potencial, no entanto ele silenciou os críticos ao vencer a Volta a Espanha nesse mesmo ano no final da época e dando bons sinais já em 2019, mais propriamente ao vencer uma etapa de contra-relógio no Paris-Nice.

Tom Dumoulin 4.10 regressa após ser segundo no Giro e no Tour no ano passado. Continua a ficar a ideia de que ainda não vimos todo o potencial de Dumoulin como corredor de Gerais, e com 60 quilómetros de contra-relógio este ano, ele tem de ser adicionado à lista, assumindo que a sua fraca forma até ao momento este ano é simplesmente um reflexo de que tem apontado o seu pico de forma a esta prova, que é a sua prioridade, e não uma evidência de que possa estar longe do que foi recentemente.

Primož Roglič 3.1085/40 tem sido imparável este ano, vencendo o Tour de Romandie, Tirreno-Adriatico e UAE Tour, amealhando várias etapas pelo caminho. Ele parece ter o pack completo, embora a sua capacidade para aguentar as sucessivas montanhas e ataques dos trepadores em etapas que serão altamente exigentes na última semana, ainda esteja por apurar.

Vincenzo Nibali 13.0012/1, aos 34 anos, e já vencedor desta prova em duas ocasiões, tem saído do radar de muitos como um provável vencedor de grandes voltas, mas com um contrato por renovar e um bom início de época, especialmente evidenciado no Tour of the Alps, ele pode surpreender os jovens pretendentes.

Mas os favoritos não se ficam por aqui. Podemos argumentar a favor das possibilidades de Miguel Angel Lopez, Rafal Majka, Bob Jungels, Ilnur Zakarin e Mikel Landa. O que parece certo, é que teremos grande profundidade de talento em acção, e nenhuma equipa deverá ser capaz de controlar a narrativa da corrida, significando que a maioria das etapas poderá ter muito drama no que toca à Classificado Geral Individual.

Qual é a previsão?


Se tivesse de escolher um vencedor, creio que optaria por Dumoulin. Ele já mostrou ser suficientemente versátil para equilibrar as exigências da rota deste Giro e pode correr de modo mais cauteloso que os seus competidores, consciente de que terá alguns segundos para gerir face à maioria dos candidatos na contra-relógio final.

No entanto, às cotações disponíveis, Nibali é aquele que representa maior valia. A sua experiência será preciosa na gestão do seu esforço ao longo de três semanas impiedosas.

Quem deveremos ter em conta para vitórias de etapa?


Elia Viviani, Fernando Gaviria, Arnaud Demare e Caleb Ewan estarão apostados em vencer pelo menos uma etapa, mas com apenas quatro ou cinco etapas destinadas aos sprinters, eles não terão muito espaço para se queixar da falta de sorte. Viviani foi o melhor sprinter no ano passado, mas existe a suspeita de que Gaviria lhe possa usurpar esse estatuto caso se mantenha saudável e não contraia lesões.


APOSTA RECOMENDADA:
Vicenzo Nibali para vencer o Giro 2019 @ 13.0012/1 no Intercâmbio

"Se gostou de nosso artigo, compartilhe em suas redes sociais"