Apostas Tour de France - Etapa 8: Estará Cavendish a postos para vencer uma etapa?

Mark Cavendish continua a imaginar o regresso às vitórias no Tour...
Ver mercado

Pode-se defender a causa de mais de uma dúzia de ciclistas no Dia da Tomada da Bastilha, escreve Jack Houghton, mas Mark Cavendish pode estar finalmente preparado para regressar às vitórias...

"Os últimos cinco quilómetros serão a descer e depois em plano, com um gentil viragem à esquerda a cerca de 500m da linha de chegada. Outro dia para uma chegada em pelotão..."

Que tipo de etapa nos espera?


Quando se escreve como título de um artigo, "Um dia para fugas?", como ontem aconteceu, é sempre um pouco embaraçoso ligar a TV e assistir aos últimos 30kms de modo bizarro, com o pelotão inteiro a passear-se, quase em amena 'cavaqueira', sem qualquer fuga em acção, e os ciclistas basicamente em protesto com a extensão exagerada do dia. Ainda assim, pelo menos David Millar, ao comentar, revelou-se igualmente chocado, portanto não me devo sentir assim tão ignorante. Desse modo, o cenário não favoreceu as nossas recomendações, com Dylan Groenewegen a silenciar os críticos - um deles eu - e a juntar-se à lista de ciclistas capazes de vencer etapas ao sprint na actual edição do Tour.

A Etapa 8 deverá ser um voltar à normalidade, com uma fuga a ser alcançada pelas equipas dos sprinters perto do final, antes dos velocistas medirem forças pela última vez até à Etapa 13. A etapa terá bem mais razoáveis 181kms, portanto o pelotão não terá razões para cortar no esforço novamente, e teremos apenas algumas pequenas subidas e descidas, com duas pequenas delas categorizadas. Os últimos cinco quilómetros serão a descer e depois em plano, com um gentil viragem à esquerda a cerca de 500m da linha de chegada. Outro dia para chegada em pelotão.

Ah, é o Dia da Tomada da Bastilha, portanto os ciclistas franceses terão um aliciante extra.

Quem são os favoritos?


Fernando Gaviria [2.88] e Peter Sagan [5.50] são novamente favoritos, mas a Etapa 7 levantou questões sobre a sua condição. Ambos estiveram bem posicionados na recta final, mas Groenewegen atropelou-os de modo autoritário, sugerindo que o seu domínio pode estar em causa. Ainda assim, pode ser uma visão demasiado precipitada a partir de uma só etapa. O ritmo da abordagem até Charters foi pouco habitual, e houve uma ascensão antes do sprint final, portanto a aparente superioridade de Groenewegen pode ter-se devido um pouco mais à sua correcta leitura de corrida, do que propriamente a um sinal de Gaviria e Sagan estarem a ficar sem forças.

Quem pode surpreender?


A lista cresce diariamente. Podemos defender as causas de Andre Greipel [16.00], que venceu a última etapa num Tour em Amiens em 2015, Sonny Colbrelli [23.00], Arnaud Demare [12.00], que será a grande esperança gaulesa, e agora Dylan Groenewegen [3.40]. Todos têm sido proeminentes ao sprint em determinado momento durante a primeira semana, e qualquer um deles tem qualidade para vencer na 8ª etapa. Às cotações actuais, talvez Colbrelli e Greipel sejam as hipóteses de aposta mais atractivas entre eles.

O único sprinter que não impressionou até ao momento tem sido Marcel Kittel [8.00]. Talvez tenha tido problemas na Etapa 7, uma vez que chegou na cauda do pelotão, em 118º, mas essa foi uma continuação de uma fraca Volta a França até ao momento, que até começou com um promissor 3º lugar no sprint inaugural, mas que desde então as coisas têm vindo a piorar. Talvez a Etapa 8 seja uma oportunidade para mudar a sua fortuna, mas eu tenho as minhas dúvidas.

Entretanto, vou tentar a minha sorte com Mark Cavendish a cerca de [30.00]. Ele foi bem mais pro-activo na Etapa 7 do que anteriormente, com os seus colegas da Dimension Data a colocarem-no em boa posição nos últimos quilómetros, e ele por breves momentos até pareceu poder ser o mais provável vencedor. As coisas não correram assim tão bem, mas este final em Amiens assenta melhor às suas ambições do que o de Chartres, e, às cotações actuais, ele parece uma aposta de valor num sprint que se prevê muito em aberto.

Que efeito terá a etapa nos mercados de longo prazo?


A Etapa 9 - com 15 zonas de empedrado até Roubaix - esperam os candidatos à Classificação Geral, e eles farão os possíveis para evitar problemas e conservar energias nesta etapa, preparando-se física e mentalmente para esse enorme desafio. Sem grande vento nas previsões, não se esperam ventos cruzados para complicar, portanto se evitarem quedas e acidentes, a etapa não deve mudar nada nas contas pela Camisola Amarela.

Gaviria e Sagan devem continuar na marcação homem-a-homem na luta pela Camisola Verde, tal como têm feito em grande parte das etapas no Tour 2018. Sagan tem actualmente 31 pontos de vantagem, mas tentará estender a sua liderança no empedrado da Etapa 9 e quando as montanhas chegarem depois disso. É por isso que ele é claramente favorito [1.23]: continua a dar a ideia de que apenas um enorme calamidade o poderá impedir de vencer pela sexta vez a Competição dos Pontos.

A corrida pela Camisola da Montanha ainda está, verdadeiramente por começar, e a competição do Jovem Ciclista - onde Egan Bernal [2.16] está já bem posicionado - só se começará a definir quando as montanhas chegarem na Etapa 10.


APOSTA RECOMENDADA:
Mark Cavendish @ [30.00]

Ver mercado