Antevisão Mundial 2018: Bélgica na Rússia para uma boa, mas não exagerada estadia

Do Wigan para o Campeonato do Mundo...
Ver mercado

'Outsiders', geração de ouro...mas serão os Red Devils genuínos candidatos este verão? Jack Lang não está convencido...

"Mas vão ser divertidos – uma versão real de todas as vezes que tentaste juntar oito atacantes na tua equipa no FIFA. Vão passar no grupo – não é difícil, na realidade – e os adversários do Grupo H para os oitavos de final também não metem muito respeito. Mas será que conseguem derrotar o Brasil ou a Alemanha nos quartos de final?"

O falhanço não é intrínseco ao conceito de "geração dourada", mas parece que a expressão ficou ligada a equipas que acabaram por decepcionar. Lembram-se quando a Inglaterra tinha uma? Correu bem. Lembram-se quando Portugal tinha uma? Também correu bem.

Aqui entra a Bélgica, a última selecção a ganhar este rótulo - e, para muitos, a vencedora inesperada do Mundial 2018. Também era a vencedora inesperada para muita gente no Euro 2016, mas nessa altura tinha um seleccionador que não era sequer capaz de organizar uma festa de aniversário na Disney, enquanto que agora... humm, espera lá.


Bobby M aos comandos


Talvez esteja a ser duro com Roberto Martínez, cujo gosto pelos ataques arriscados tornou o tempo como treinador em Inglaterra tão agradável. Não para os adeptos do Everton, mas para todos os outros. O registo desde que ocupou o lugar de Wilmots também é forte: a Bélgica não perdeu desde o primeiro jogo sob o seu comando, e foi um jogo contra a Espanha. Qualificaram-se facilmente para o Mundial, e só a Alemanha igualou a quantidade de golos.

Mas Martínez não se consegue livrar da reputação de ser um peso pluma em termos tácticos. Mostrou que pode ser duro ao deixar Radja Nainggolan fora dos seus 23 - uma decisão que não caiu bem - mas será que consegue transformar a espantosa quantidade de talento à disposição numa equipa ao nível do torneio? Ainda não decidimos.

Um bom exemplo: o empate por 3-3 contra o México em Novembro passado. "O México foi tacticamente melhor", disse Kevin De Bruyne depois do jogo. "Estávamos a nadar no meio-campo - éramos cinco contra sete. Enquanto não tivermos um bom sistema táctico para a equipa, vamos ter dificuldade contra selecções como a do México. É uma pena que ainda não tenhamos a solução". Ui!


Decifrar o enigma


Não foi a primeira vez que a Bélgica sofreu três golos sob o commando de Martínez: a Rússia e a Bósnia-Herzegovina também conseguiram. Apesar de ser verdade que os Red Devils não sofreram golos em seis jogos durante a qualificação, temos de ter em conta os adversários: vão ser muito mais testados na Rússia do que foram frente à Estónia, ao Chipre e a Gibraltar.

A defesa está cheia de estrelas, mas há mais pontos de interrogação do que no fato do Enigma. Será que Vincent Kompany aguenta os jogos todos? Como é que Toby Alderweireld se vai sair depois de meses no purgatório de Daniel Levy? Será que Thibaut Courtois consegue esquecer o Real Madrid durante 10 minutos e voltar à melhor forma? Será que Yannick Ferreira-Carrasco é mesmo um extremo? E o que é Laurent Ciman?

Espero que Jan Vertonghen tenha tido uma ou duas semanas de férias depois da Premier League. Vai ter muito trabalho.


Ataque, ataque, ataque!


Sabemos quais são os pontos fortes da Bélgica: o meio-campo, o ataque e o banco, que tem ainda mais opções para o meio-campo e para o ataque. Eden Hazard, Romelu Lukaku e Kevin De Bruyne são titulares obrigatórios, mas há muito por onde escolher nas restantes posições.

Temos Dries Mertens, acabadinho de sair da magnífica temporada no Nápoles; o rejuvenescido Michy Batshuayi, favorito de Antonio Conte; o suave Mousa Dembelé; os motores do meio-campo, Axel Witsel e Youri Tielemans. E se não for a bem, vai a mal, ainda há Marouane Fellaini e Christian Benteke, ambos muito difamados, mas com bons registos pelos seus países. Não se brinca lá atrás.

Este é um "bom problema" para se ter, e deve relembrar a Martínez o seu querido Wigan - uma equipa tão boa quando estava no seu auge, em 2013, que nem Franco Di Santo conseguiu fazer parte do XI inicial. Sim, estou a pensar o que estão a pensar: Hazard é o Shaun Maloney da geração Fortnite.


Vieram por um tempo, não por um bom tempo


Então a Bélgica vai vencer o Mundial? Não digam parvoíces. Marcar 15 golos a Gibraltar é engraçado, mas não os torna na Espanha. Este vencedor inesperado tem fraquezas e não acredito que aguente até ao fim.

Mas vão ser divertidos - uma versão real de todas as vezes que tentaste juntar oito atacantes na tua equipa no FIFA. Vão passar no grupo - não é difícil, na realidade - e os adversários do Grupo H para os oitavos de final também não metem muito respeito. Mas será que conseguem derrotar o Brasil ou a Alemanha nos quartos de final? Nee, non e até nein.


APOSTA RECOMENDADA
Bélgica é eliminada nos quartos de final @ [3.00] (Sportsbook)

Ver mercado