Paulo Nunes e Diego Ribas contam bastidores inéditos sobre a Libertadores para a série (Im)possível

Em clima decisivo para a Libertadores 2021, o ex-jogador e o capitão do Flamengo falaram com exclusividade para a série de Betfair.net sobre a essência e a magia da competição, em bate-papo revelador.

“Disputar uma Libertadores não é diferente, é completamente diferente. A competição tem um significado enorme pra mim, eu me transformava dentro da Liberadores”, cravou Paulo Nunes.

Com declarações inéditas, o ex-jogador Paulo Nunes (ex-Palmeiras) e o jogador Diego Ribas (Flamengo) são os grandes personagens da reta final da série "(Im)possível" - desenvolvida pela Betfair.net em parceria com The Players' Tribune.

Em conversas apresentadas e mediadas por Douglas dos Santos (ex-Grêmio e Corinthians), os dois personagens destacaram passagens inesquecíveis de suas trajetórias na CONMEBOL Libertadores e trouxeram detalhes nunca antes contados de suas experiências na maior competição do continente.

Em seu depoimento, o ex-atacante Paulo Nunes relembrou a histórica conquista do Palmeiras na Libertadores de 1999. "A maior cobrança era levar uma Libertadores para o Palmeiras. Essa era a obsessão do presidente, do treinador, do torcedor... e o torcedor saiu de lá saciado".

O atleta relembrou ainda seu icônico ritual com as máscaras, sua marca registrada, e revelou uma superstição curiosa do então treinador Luiz Felipe Scolari, o Felipão, na jornada da Libertadores. "A questão da máscara, eu amava, era uma superstição. Isso virou superstição também para o Felipão, na época. Quando eu chegava lá e não tinha máscara, o Felipão falava, ele cobrava.

Já Diego Ribas começou seu depoimento enaltecendo a liderança do Flamengo. "Para o que nós queremos, não tem impossível para o Flamengo. Temos uma liderança coletiva muito boa, um grupo fantástico". O camisa 35 relembrou também sua trajetória na Libertadores e a dura lesão que sofreu durante a competição, em 2019.

"Eu não aceitei que a Libertadores teria acabado pra mim ali, mas sabia que corria esse risco. Até eu fazer o exame, eu não sabia se minha carreira continuaria ou não. Quando eu fiquei sabendo que era a fíbula, eu vi que estava no jogo! Consegui voltar para a semifinal, me arrepia até hoje!

Meu filho falou pra mim que o jogo com o Grêmio foi o mais importante que ele me viu jogar... ele achou que eu não fosse mais voltar a jogar. E quando me viu no campo novamente, foi emocionante demais!". A entrevista completa acaba de ser publicada no site.

Sobre a sensação de disputar uma Libertadores, os dois foram enfáticos em seus depoimentos. "Eu falo que todo jogador deveria disputar uma Libertadores pelo menos uma vez na vida, até mesmo os europeus. Sentir o clima, a atmosfera, as viagens, o clima, as dificuldades de cada estádio, não tem padrão. Libertadores tem algo de especial!", disse Diego, capitão do Flamengo.

"Disputar uma Libertadores não é diferente, é completamente diferente. A competição tem um significado enorme pra mim, eu me transformava dentro da Liberadores", cravou Paulo Nunes.

Quando questionado sobre a expectativa para a final desta edição da CONMEBOL Libertadores, Paulo Nunes foi categórico: "Tudo pode acontecer, não dá pra opinar. Um jogo, fora do país, campo neutro, com duas camisas pesadas. Não tem favorito".

Já Diego Ribas está focado no sonho de mais um título na competição. "Eu acredito que o melhor está sempre por vir. Isso que sempre me manteve motivado. 2019 foi maravilhoso, mas temos diante de nós outra oportunidade fantástica.

Esta é minha terceira final de Libertadores, ainda chego com aquele frio na barriga, mas ainda mais grato. Quase 20 anos depois, estou aqui novamente. Uma vontade gigantesca de continuar fazendo história".

A importância da Libertadores para o brasileiro foi um dos temas mais abordados ao longo da série, que faz parte do projeto 'Obsessão'.

Em breve, ainda em 2021, a série terá novidades exclusivas para o público. Todos os depoimentos completos, já publicados pela série, podem ser conferidos aqui