Euro 2012: A análise de Pavel Srnicek à Rep.Checa

Pavel Srnicek jogou 49 encontros pela sua seleção ao longo de uma carreira internacional de sete anos.

Pavel Srnicek fez 149 jogos pelo Newcastle nos anos 90 e foi o guarda-redes substituto durante o notável desempenho dos Checos até à final do Euro 96. Fique a saber tudo sobre os seus prognósticos a respeito das hipóteses da República Checa neste momento.

Acredito que a equipa checa vai passar o Grupo A, juntamente com a Polónia.

[Rep.Checa/Polónia para qualificação no Grupo A @ 7.0]

As Hipóteses

Todos pensam que o Grupo A é o mais fácil que a República Checa poderia ter tido. Mas penso que é de certa forma enganoso porque quando se está envolvido num grupo com as maiores equipas, a performance naturalmente melhora como resultado disso mesmo.
Contudo, não quero com isto dizer que Polónia, Rússia e Grécia não são grandes selecções, de todo mesmo. Mas estou à espera de três jogos bastante renhidos.

Não penso que existam grandes euforias ou expectativas irreais entre os fãs checos. Não nos esquecemos que a fase de qualificação não foi fácil. Mesmo que a equipa tenha sido bem-sucedida no play-off, a impressão geral da qualificação não foi a melhor.
É por isso que não existe grande expectativa.

Mas isto não é nada que possa causar problemas na equipa. Um rápido olhar sobre o passado e temos a confirmação que o papel de convidados sempre serviu aos checos. Lembra-se do Euro 96 quando fomos até à final? A pressão é menor, podemos estar relaxados durante todo o torneio, estando preparados com mais tranquilidade como se fossemos os favoritos. Tenho noção que estou a falar como se tivesse a melhor experiência do Sparta Prague, onde estou actualmente como treinador de guarda-redes. Assim sendo [é melhor para nós que não entremos no torneio como favoritos do grupo.]

O treinador

Não vai ser um confronto fácil para a República Checa. O treinador Michal Bilek ainda é relativamente jovem e inexperiente neste ponto da carreira. Este será o seu primeiro grande desafio e não foi fácil para ele depois de muitos adeptos pedirem a sua demissão e substituição por alguém com mais experiência. Mas lidou com a pressão e chegou à fase final. Pode beneficiar disso mesmo neste momento.
Quando se é um treinador de selecção, há muita pressão em cima dos ombros. Um ou dois maus resultados podem virar tudo contra o seu trabalho, mas ele conseguiu chegar até aqui. É um facto que foi ajudado pelo plantel que estava por detrás. Quando se joga para a selecção, esse deve ser o seu dever, mas nem sempre é esse o caso.

O plantel

Houve muita conversa sobre os jogadores escolhidos para o Euro 2012. Fiquei desapontado por ter deixado de fora Ladislav Krejci; pode ter apenas 19 anos, mas é ambicioso e não penso que exista um médio-esquerdo checo melhor que ele neste momento. Muitos adeptos ficaram surpreendidos quando deixou de fora Jiri Stajner. O futebol está cada vez mais a ficar rápido e Stajner tem já 36 anos, portanto ninguém sabe como ele lidaria com este esforço físico suplementar. Não quero subestimar a sua performance durante esta temporada, mas dificilmente se pode comparar a liga Checa com o futebol internacional de uma fase final de um europeu.

O jogador-chave

Relativamente a jogadores-chave, um deles, sem dúvida alguma, é Petr Cech. Recentemente tem-se apresentado em excelente forma e caso alguma vez se tivesse lesionado, seria uma grande perda para todos. Mas considero este tópico mais baseado na união e espírito de equipa, em vez de estar atento a performances individuais. Obviamente, se Tomas Rosicky não estivesse em forma seria um autêntico golpe, tal como aconteceu com Michal Kadlec ou Jaroslav Plasil. Mas devido à forma como jogamos, se algum desses três estivesse fora não seria o fim do mundo para ninguém.

Os pontos fortes

A união é um dos pontos mais fortes desta equipa. Foram rebaixados durante maior parte das fases de qualificação e isso de facto uniu-os, tendo acontecido um efeito semelhante àquele que vimos com o Chelsea na Liga dos Campeões. Quem alguma vez acreditou que iriam ganhar?
Apesar de Cech e Rosicky terem jogado bem, não existem muitos jogadores no plantel que joguem em grandes equipas e isso é reflectido nas suas performances. Eu ainda classificaria a Premier League como a melhor liga do mundo, mas temos apenas dois jogadores na selecção que actuam neste campeonato.
Outra questão é quem irá marcar os golos. Milan Baros teve uma temporada de altos e baixos com algumas lesões que nunca ajudaram. Contudo, gosto da fé do treinador Bilek em Baros e não penso que haja melhor avançado no país. Talvez seja a sua última grande competição ao nível de selecções e isso pode dar-lhe uma motivação especial.

Aposta para o torneio:

Acredito que a equipa checa vai passar o Grupo A, juntamente com a Polónia. E então, com um pouco de sorte, quem sabe? Afinal, quem previa que fossemos chegar à final em 96?

[República Checa e Polónia, ambos para qualificação no Grupo A @ 7.0]