Euro 2012: Ashley Gray sobre a Ucrânia

O veterano Tymoshcuk será o líder do meio-campo ucraniano.

O país co-anfitrião tem problemas na finalização, não existem grandes avançados, um treinador com um currículo medíocre e um desempenho pobre em Donetsk, onde agora vão enfrentar a Inglaterra e a França. Não é de admirar que Anatoliy Tymoshchuk seja a única pessoa que acredita nas hipóteses desta selecção, avisa Ashley Gray.

O único jogo garantido da Ucrânia na capital, Kiev, é o seu confronto de abertura conta a Suecia a 11 de Junho, e poderá ser suficientemente motivante para começar o torneio com uma vitória. Os outros dois encontro decorrem na Dombass Arena, onde a Ucrânia ainda não conseguiu vencer...

Ucrânia vence a Suécia @ 2.447/5

Expectativas

O objectivo da Ucrânia é pelo menos sair de cabeça erguida do Grupo D e menos do que isso será visto como um falhanço. Contudo, muitos adeptos não acreditam de todo nas hipóteses da sua selecção. Uma sondagem de um dos jornais de referência, o Segodnya, mostrou que 40 por cento acredita que a Ucrânia irá ficar abaixo das expectativas, e apenas um terço acredita no seu sucesso. De qualquer maneira, um bom começo no jogo inaugural contra a Suécia vai trazer memórias dos quartos-de-final do Campeonato do Mundo de 2006. O recordista Anatoliy Tymoshchuk não faz por menos: chegou a dizer que já vê a equipa a chegar à final em Kiev, no dia 1 de Julho.

O treinador é popular?

Oleh Blokhin é um herói nacional que mascara algumas das suas limitações enquanto treinador. Foi avançado no Dynamo de Kiev e da ex-União Soviética e, em 1975, tornou-se no primeiro ucraniano vencedor da Bola de Ouro. Mas Blokhin foi o homem que levou a Ucrânia ao oitavo lugar em 2006, na Alemanha, e está de volta ao banco depois de uma maratona caótica de contratações e despedimentos. É provável que seja popular por entre os jogadores ao deixá-los levar as namoradas para os treinos finais na Turquia, mas essa decisão já fez levantar algumas críticas que poderão ser mais graves caso os resultados fiquem aquém das expectativas.

Pontos de Discussão

Apenas há uns meses atrás as conversas eram sobre se o veterano guarda-redes Oleksandr Shovkovskiy seria substituído por dois candidatos mais fortes: Oleksandr Rybka, do Shakhtar Donetsk, e Andriy Dykan, do Spartak de Moscovo. De repente, todos os três saem dos planos (Shovkovskiy e Dykan com lesões graves, Rybka afastado por ter acusado positivo no controlo anti doping), o que significa que a segunda escolha do Shaktar, Andriy Pyatov, tem fortes probabilidades de agarrar a titularidade no torneio.
Tacticamente, a Ucrânia gosta de jogar no contra-ataque, mas deverão adaptar a sua forma e personalidade à forma como os seus adversários entrarem em campo, embora exista o receio de que a falta de uma estratégia possa ser prejudicial para a equipa.

Que jogador a Ucrânia não poderia perder?

Shevchenko vai ganhar toda a atenção, mas Andriy Yarmolenko tem fortes possibilidades caso os anfitriões sejam bem-sucedidos. Pode jogar em qualquer zona do ataque. Yarmolenko marcou 12 golos pelo Dynamo Kiev esta temporada, mas a importância dele passa também pelas oportunidades que consegue criar aos colegas de equipa.

Forças e fraquezas

O veterano do Bayern Munich Tymoshcuk aguenta um meio campo forte, e a sua escola complementa a criatividade do jovem Yevhen Konoplyanka de 21 anos, que tanto está à vontade no ataque como no centro do terreno. De qualquer forma, muito era esperado dos emocionantes talentos dos sub-21 do ano passado no Campeonato Europeu como Konoplyanka, Yarmolenko e os seus colegas que acabaram eliminados na fase de grupos.
Há muitos candidatos para jogar no ataque, incluindo o ex-jogador do Liverpool Andriy Voronin e o sérvio Marko Devic, mas nenhum dos avançados vão para os confrontos na melhor forma. O alvo da Premier League, Artem Milevskiy, está em perigo de se tornar numa figura periférica tanto para Dynamo Kiev como para o seu país. Bem como a crise de guarda-redes, a Ucrânia é fraca na defesa e sente a falta do anterior nome do Barcelona Dmytro Chygrynskiy.

Aposta para o torneio

O único jogo garantido da Ucrânia na capital, Kiev, é o seu confronto de abertura conta a Suecia a 11 de Junho, e poderá ser suficientemente motivante para começar o torneio com uma vitória, principalmente porque paira a sombra da equipa ainda não ter alcançado qualquer vitória nos três jogos realizados até agora no Donetsk's Donbass Arena, onde irão enfrentar a França e a Inglaterra.

Ucrânia vence a Suécia @ 2.447/5

Ashley Gray é um jornalista desportivo especializado no futebol da Europa Ocidental pelo Daily Mail e outras publicações. Dedicou muito tempo a analisar e visitar a Ucrânia durante as preparações para o torneio.