Guia de Equipes

Euro 2012: Guia das Equipas - Alemanha

Thomas Muller foi o "artilheiro" do Mundial em 2010, e poderá voltar a lutar por esse estatuto em 2012.

Pode parecer uma escolha surpreendente como estrela alemã e, sou provavelmente culpado de favoritismo neste ponto, mas Muller é o homem do momento e vou apoiá-lo a 38.037/1 para ser o melhor goleador do campeonato.

A Alemanha tem todas as condições para vencer o Campeonato da Europa e Thomas Muller representa uma boa oportunidade para Melhor Marcador da prova, se analisarmos o seu elevado preço.

O percurso até ao Euro 2012

Dificilmente conseguiríamos conceber uma campanha de apuramento mais perfeita do que a exibida pela Alemanha antes do Euro 2012. Ganhou dez jogos em dez, tendo acabado com 13 pontos de distância da equipa em segundo lugar no grupo, a Turquia. O mais perto que os alemães estiveram de não ganharem foi bem longe na Áustria, mas Mario Gomez veio em sua salvação nessa noite e a Alemanha nunca mais olhou para trás. Nos quatro jogos que se seguiram a essa vitória na Áustria, a Alemanha marcou quinze golos e continuou a ser uma excelente fonte de entretenimento. Existe uma série de estatísticas de apuramento que vale a pena analisar relativamente à equipa de Jogi Low. Ambas as equipas marcaram em cada um dos últimos cinco jogos de qualificação e nove dos dez jogos da Alemanha na fase de apuramento exibiram 2,5 golos e seis mais de 3,5. A recente derrota de 5-3 frente à Suíça, reconhecidamente com uma equipa enfraquecida, vem reforçar a impressão de que existirão sempre golos nos jogos onde a Alemanha participa. Quanto a todo o seu poder de ataque, existe uma vulnerabilidade que me leva a hesitar em recomendar estes homens a 4.216/5 como vencedores do campeonato, mas a verdade é que farão parte da equipa mais interessante de assistir na Polónia e na Ucrânia.

O seleccionador

Joachim Low é um daqueles raros treinadores cujos feitos internacionais excedem em muito tudo aquilo que ele conseguiu a nível de clubes. Levou o Stuttgart à final da Taça das Taças de 1998, ganhou o campeonato alemão com a mesma equipa e ganhou um título austríaco com o Tirol Innsbruck. Mas este é o homem que levou o país a duas meias-finais consecutivas importantes (três, se defendermos a teoria de que foi ele e não Jurgen Klinsmann, quem esteve por trás da vitória de 2006), ficando atrás no Campeonato do Mundo e perdendo na final do último Campeonato Europeu. Há um sentimento na Alemanha de que este é o seu momento e que a equipa jovem que foi cuidadosamente cultivada por Low está pronta para ganhar um título. Uma das coisas mais refrescantes quanto ao treinador alemão é a sua atitude e estilo. Tem uma arrogância pessoal, mas as suas equipas jogam com fibra real e, como seleccionador nunca vai deixar de querer ir mais além. Tem muito talento por onde escolher e a pressão tem a ver com a decisão certa em algumas áreas chave. Contudo, se a Alemanha falhar no Euro 2012, não me parece que tal se deva ao seu treinador.

A estrela

Dada a capacidade dos jogadores alemães para porem os clubes de lado quando chegam a um grande campeonato, Thomas Muller tem de ser observado com atenção no Euro 2012. Tenho de ser sincero neste ponto e admitir que Muller é precisamente o meu tipo de jogador. Alto, elegante e um corredor fantástico e abençoado com a capacidade para tomar uma série de decisões corretas ao longo de um jogo. Apesar de ter marcado na final da Liga dos Campeões, não esteve no seu melhor e esse desempenho resumiu a sua época: ocasionalmente eficaz, demasiadas vezes periférico. Contudo, pergunto-me se Muller não acabará por moldar os diversos membros chave da equipa dos últimos anos e apresentar mais uma vez um desempenho brilhante no campeonato de futebol. Ao longo dos anos, Lukas Podolski e Miroslav Klose provaram que é possível guardar o melhor para o verão e tenho um palpite que também Muller acabará por ser esse tipo de jogador. Pode parecer uma escolha surpreendente como estrela alemã e, sou provavelmente culpado de favoritismo neste ponto, mas Muller é o homem do momento e vou apoiá-lo a 38.037/1 para ser o maior goleador do campeonato. É um preço que se baseia na marcação de apenas sete golos na liga na última época, mas não posso deixar o vencedor da bota de ouro do Campeonato do Mundo ir-se embora de uma forma assim tão airosa e lembrar que marcou quatro golos nos últimos quatro jogos nacionais na época de 2011/12. É possível que atinja o melhor da sua forma na altura certa.

O rochedo

Mats Hummels deve ser um dos jogadores que mais melhorou na Europa nos últimos quatro anos. De tal forma que é a escolha evidente como o rochedo no qual se baseia uma equipa extremamente talentosa. Hummels foi rejeitado pelo Bayern Munich há quatro anos mas, desde a sua conversão de médio para defesa central, tornou-se um dos homens chave nas equipas vencedoras de títulos do Dortmund e também um dos melhores jogadores na equipa nacional. Está ainda no início da sua carreira internacional, mas ele e Holger Badstuber já são uma excelente parelha defensiva central.

O jovem

A Alemanha possui tantos jovens jogadores de alto nível que esta categoria é praticamente impossível de decidir. Neste ponto, estão nos antípodas da Rússia. Com menções honrosas à dupla do Borussia Moenchengladbach composta por Marc Andre ter Stegen (o melhor guarda-redes que vi esta época de LONGE) e Marc Reus, tenho de optar por Mario Gotze. O homem do Dortmund pode surgir apenas como suplente e não se tem apresentado na melhor forma numa série de recentes desafios mas, quando Mesut Ozil se cansar (e quando é que Ozil alguma vez joga noventa minutos pelo Real Madrid?), Gotze poderá então dar um ar da sua graça e influenciar o jogo de forma significativa.

A aposta para o torneio

Não gosto de conclusões preguiçosas e acho que, por vezes, estas levam a apostas estúpidas, mas o forte sentimento depois do Campeonato do Mundo na África do Sul foi que esta jovem equipa alemã se sairia ainda melhor no Euro 2012. Dois anos depois, esta continua a parecer uma conclusão justa. Esta é uma equipa cujo talento emana de todos os poros e é bem possível que Joachim Low deixe de fora alguns dos seus fabulosos jogadores. Vejo a Alemanha na final, onde poderá muito bem enfrentar a França numa repetição daquele jogo de Bremen. A Alemanha está a um preço justo para chegar à final a 2.526/4 e vou também apostar na sua vitória nos seus jogos. Raramente desiludem neste tipo de eventos.