Apostas Bayern x Chelsea: Que esperar da arbitragem de Proença?

Pedro Proença tem feito do cartão amarelo uma marca constante nos seus jogos ao longo dos últimos dois anos.

Michael Lintorn teme a influência que Pedro Proença possa ter em Munique, receoso que uma onda de cartões amarelos possa ser uma realidade durante os 90 minutos de jogo.

Todos os 4 encontros apitados por Proença nesta temporada registaram mais de 13 pontos de cartões, o que talvez explique o porquê das apostas de sábado no mercado de probabilidades de cartões.

A final da Champions League vai ser arbitrada por um árbitro português, pela primeira vez desde 1980 - quando os ingleses do Nottingham se impuseram aos alemães do Hamburgo - agora tornado oficial, depois da nomeação de Pedro Proença.

Aos 41 anos, o director financeiro natural de Lisboa será o árbitro mais velho do evento nos últimos cinco anos cinco anos, mas não foi a sua larga experiência que levou a uma interpretação mais liberal das regras ou uma vontade de deixar o jogo fluir.

Todos os quatro encontros da Champions League que Proença arbitrou nesta temporada foram marcadas por cinco ou mais cartões, tendo sido forçado a mostrar o vermelho em duas dessas ocasiões. Chegou a assinalar grandes penalidades em duas, mas as apostas assinalam 3.9 para acontecer o mesmo no próximo encontro.

Utilizando o modelo da Betfair de dois pontos por amarelo e cinco por vermelho, os resultados chegaram a assinalar 13 pontos, o que talvez explique o porquê da opção de nove pontos ou mais nas apostas de sábado no mercado de probabilidades de cartões esteja mais baixa que o habitual.

Essa situação torna-se ainda mais surpreendente pelo facto de que a mesma situação aconteceu nas últimas cinco finais, quatro delas atingindo os oito pontos. Quaisquer cartões mostrados no prolongamento ou durante disputa por penalties são descontados da contagem.

Proença foi também implacável ao anotar mais nomes no seu bloco de notas em dois encontros na fase eliminatória da Liga Europa, ao advertir sete jogadores no 1-0 do AZ Alkmaar em Anderlecht e seis ao encontro do Schalke e Atlético de Bilbao nos quartos-de-final.

Também interessante é o alto número de cartões mostrados na meia-final do Bayern (18) e na meia-final do Chelsea (21). Os Blues foram responsáveis por 17 desses pontos em Barcelona, o que sugere que quando for necessário absorver a pressão, eles vão voltar a fazer o mesmo recorrendo a todos os meios.

A expulsão está num palpite certeiro de 4.67/2 principalmente porque Jens Lehmann no Arsenal de 2006 continua a ser o único homem a ter sido expulso durante os 90 minutos de uma final da Liga Europa/Champions League.

Os defesas em jogo devem ser avisados que Proença gosta de acrescentar um pouco de drama à recta final dos jogos, dois dos cartões vermelhos e marcação de livres nos seus quatro encontros da Champions League foram marcados no minuto final de cada parte.