Ryder Cup: Europa faz milagre em Medinah e agita mercado Betfair

Ian Poulter foi um dos "obreiros" da reviravolta europeia.

Um Mike Norman bastante orgulhoso diz-nos como a Europa alcançou a sua grande reviravolta da história da Ryder Cup para mais uma vez ganhar o famoso troféu.

A equipa europeia estava disponível para ser colocada antes do evento a [2.8], mas foram cotados durante o mesmo a um máximo de [27.0].

Pouco antes do fenómeno registado num louco domingo, a frase "milagre em Medinah" já era viral na rede social Twitter. As pessoas sonhavam com isso mesmo, mas será que alguém acreditou que iria de facto acontecer?

Eu tiro o chapéu a quem acreditou; mas dou mais valor ao momento em que Martin Kaymer fez o buraco a partir de 6 metros no 18º campo que lhe garantiu a Ryder Cup.
O que aconteceu depois disto - Tiger Woods a falhar um buraco que garantiu a vitória para a Europa - foi muito triste porque nenhuma equipa merece perder. Um empate 14-14 iria condizer com este grande evento e como ele se desenrolou, não penso que existam derrotados; de facto, apenas ainda existem vencedores.
Woods demonstrou grande desportivismo no 18º buraco, possibilitando a Francesco Molinari fazer uma pontuação semelhante.

Mas a razão por que Woods falhou foi por já não ser o que era, a concentração e empenho desapareceram depois de ver a Europa a levar a taça 150 metros à frente dele enquanto estava a meio do 18º buraco.
A equipa europeia arrastou o 10-6 norte-americano para os singles de Domingo e poucos lhes deram a oportunidade de ganhar. Os americanos jogaram brilhantemente por dois dias, acertando de forma sublime nos Country Clubs de Medinah.

Mas a luta que a Europa demonstrou quando Ian Poulter fez cinco buracos seguidos na noite de sábado foi transportada para domingo; Luke Donald liderou de forma semelhante a que Colin Montgomerie fez em outros anos.

Donald foi seguido até à vitória por Poulter, depois Rory McIloroy, Justin Rose, e também por Paul Lawrie que na semana passada confrontou o campeão Brandt Snedeker na FedEx Cup.
De facto, Lawrie foi o único a vencer com facilidade, enquanto Poulter, McIlroy e Rose demonstraram um desempenho brilhante ao vencer mais tarde todos os rounds mantendo vivo o milagre no Medinah.

A equipa norte-americana ripostou com os dois Johnsons, Dustin e Zach, e Jason Dufner a ganhar os respetivos jogos, mas o seu único outro resultado veio de cortesia de um meio ponto no jogo da final Woods/Molinari.
A equipa europeia estava disponível para ser colocada antes do evento a [2.8], e foram cotados durante o mesmo a um máximo de [27.0]. O único aspecto mais surpreendente das odds foi que não chegaram a estar mais altas, a equipa dos EUA nunca perdeu enquanto somava pelo menos uma vantagem de dois pontos desde o início da competição em 1927.

É difícil expressar por palavras como é que os fanáticos do golfe se estão a sentir agora, mas sei que estamos a falar de uma pessoa muito orgulhosa e encantada pelo 39º Ryder Cup ter sido disputado com um espírito fantástico, e ao mesmo tempo a demonstrar por que se trata do melhor evento desportivo do mundo inteiro. E claro, contamos também com o melhor resultado.


*texto de Mike Norman