Apostas ATP Masters de Paris: Ir Contra Nadal parece estratégia viável

Este torneio tem grandes implicações no ranking de Jack Sock...
Ver mercado

Com a temporada 2018 a chegar ao fim, estará muito em jogo para vários jogadores no Masters de Paris. Dan Weston, Colunista de Ténis da Betfair, antevê a acção da semana.

"Podemos olhar para Edmund como potencial escolha? Os seus registos indoor são excelentes - num total de 9-3 nos últimos 12 meses, com um forte registo combinado de 104.8%."

Pontos decisivos em jogo no último evento de elite


Apesar da temporada de ténis estar a chegar ao fim para a maioria dos jogadores esta semana, há ainda muito pelo que jogar, com um máximo de 1000 pontos disponíveis em Paris a terem potencial para alterar a direcção da época de alguns jogadores. Primeiramente, com o World Tour Finals a acontecer em Londres dentro de 15 dias, existe ainda incerteza sobre quais os jogadores que irão participar como top-8 na corrida a Londres.

Os primeiros cinco já asseguraram os seus lugares, mas ainda é possível que do 7º ao 10º classificado todos cheguem ao top-8, tendo em conta a tendência para grandes exibições nesta semana para Marin Cilic, Dominic Thiem, Kei Nishikori e John Isner.

Campeão em título Sock em queda livre no ranking


Para além disso, temos a questão do vencedor do ano passado ter de defender os seus pontos, e Jack Sock tem realizado uma péssima época de singulares.

Ele defende 1400 pontos entre Paris e a Tour Finals (para a qual não se irá qualificar) e perder aqui o seu primeiro jogo significará que pode cair para o top-150 quando se iniciar a próxima temporada - a qualificação do Open da Austrália deverá ser uma realidade, e tendo ficado isento na primeira ronda deste torneio, ele deverá estrear-se como 'underdog' frente a Richard Gasquet ou Denis Shapovalov no seu embate da segunda ronda.

Condições relativamente médias para um piso Indoor


16 jogadores estão isentos da primeira ronda, com outros 32 competindo na primeira ronda para criar um quadro com 48 tenistas, e as condições devem ser francamente medianas, talvez muito ligeiramente para o rápidas, para um piso duro indoor. Ao longo dos últimos três anos, 81.0% dos jogos de serviço foram assegurados na AccorHotels Arena - ligeiramente acima da média ATP de 80.4% nesta superfície, e 0.62 ases foram concretizados por jogo de serviço, ligeiramente acima da média 0.57 no circuito ATP nesta superfície.

Um olhar à lista de vencedores desta década mostra que nenhuma dinâmica de estilo de jogador beneficiou a partir dos finalistas. Jogadores orientados para o serviço atingiram a Final - David Ferrer por duas vezes, assim como Andy Murray - enquanto grandes servidores também o conseguiram, com Roger Federer, Jo-Wilfried Tsonga e Jerzy Janowicz nessa lista, assim como os inconstantes Milos Raonic e John Isner.

Federer sem grande sucesso neste torneio


Curiosamente, e apesar de ter apetência para torneios indoor, Federer só foi finalista por uma vez em toda a sua carreira aqui, atingindo os Oitavos de Final na sua última aparição, em 2015, e os Quartos de Final em 2014. Tendo em conta que venceu em Basileia na semana passada, nem sequer será um choque se ele decidir abdicar do torneio já com o pensamento na Tour Finals.

Outra área de discussão que salta à vista a partir da lista de vencedores é que tivemos alguns finalistas inesperados esta década - Janowicz, Sock e Krajinovic são exemplos - e um nome ligeiramente menos sonante a chegar à Final deste ano não pode ser descontado. Será algo de final de temporada? Bem, é possível que sim.

Metade inferior do quadro parece mais forte


De uma perspectiva de Vencedor do Torneio, Federer [9.60] e o favorito Djokovic [2.16] estão na metade inferior do quadro, e o mesmo parece bem difícil, particularmente tendo em conta a qualidade dos cabeças-de-série - Kevin Anderson e Kei Nishikori estão em grande forma, enquanto Marin Cilic e Grigor Dimitrov tendem a gostar destas condições de jogo. Talvez um olhar à metade superior do quadro possa tirar maiores dividendos.

Ir Contra Rafa na metade superior será o plano


O cabeça-de-série do torneio, e nº1 mundial, Rafa Nadal, comanda a metade superior do quadro e o espanhol está a [7.40] como segundo favorito a erguer o troféu. Mas esse preço é difícil de justificar, tendo em conta a sua recente inactividade - ele não joga desde a retirada na semifinal do US Open contra Juan Martin Del Potro no início de Setembro.

Para além disso, o registo de Rafa em piso indoor não está nada próximo do que ele faz em terra batida, apresentando apenas um registo combinado de 102.6% nos últimos três anos, quebrando os adversário em apenas 22% das ocasiões. Em linha com o seu igualmente inferior nível em relva, é compreensível que existam vários argumentos para justificar a sua antipatia para com as superfícies mais rápidas do circuito.

Várias opções Next-Gen com bons dados estatísticos


Por essa razão precisamos de ver quem iremos usar na metade superior do quadro como aposta each-way ou opção Cash Out, e os principais candidatos são Kyle Edmund, a [34.00] ainda sem liquidez, Borna Coric, a [44.00], e Alexander Zverev, a [14.00].

O mais curto deles Zverev perdeu para Marius Copil na semana passada nas semifinais de Basileia, e não venceu quatro partidas consecutivas desde Washington - há seis torneios - no início de Agosto, com cinco das suas derrotas a surgirem a partir de preços abaixo de [1.40]. Apesar disso, os seus dados dos últimos três meses até são bons, aproximando-se dos 115% combinados entre serviço/resposta, no entanto o seu registo indoor é menos inspirador, quase não superando os 100% ao longo de treze partidas nos últimos 12 meses.

O principal problema de Coric é a questão física, após se ter retirado na semana passada em Viena. Sem isso, ele seria uma opção bem interessante, tendo em conta o seu excelente registo nos últimos meses, e tendo já batido Nadal anteriormente.

Edmund é opção interessante tendo em conta a sua evolução


Podemos olhar para Edmund como potencial escolha? Os seus registos indoor são excelentes - num total de 9-3 nos últimos 12 meses, com um forte registo combinado de 104.8%, mas os 34/70 no A Favor e Contra pedem que esperemos por maior liquidez e ajuste de cotações. Eu sugiro a colocação de uma aposta a cerca de [50.00] para ser correspondida, em linha com o preço geral do mercado.

Após esta previsão para o torneio, eu irei regressar com previsões diárias ao longo da semana, já em período de aquecimento para o grande final de época em Londres dentro de 15 dias.


APOSTAS RECOMENDADAS:
Aposta em Kyle Edmund para vencer o Paris Masters @ [50.00] (para Cash Out)

"Se gostou de nosso artigo, compartilhe em suas redes sociais"

Ver mercado