Apostas ATP Tour Semana 38: Baghdatis pode ter a sua chance após sorteio favorável

Marcos Baghdatis ainda pode ter uma palavra a dizer em solo russo...
Ver mercado

Após uma semana de descanso no circuito devido à Taça Davis, o circuito ATP regressa com dois torneio de piso duro indoor. O nosso colunista de ténis, Dan Weston, está de volta para prever os torneios...

"As condições de jogo em St Petersburg devem estar bem lentas para um torneio indoor. Ao longo dos últimos três anos no circuito ATP, 80.3% dos jogos de serviço foram assegurados, mas este registo desce para 77.1% aqui."

Circuito ATP de volta aos courts de piso duro Indoor esta semana


Os eventos indoor desta semana na Europa assinalam o início da fase final da temporada - com apenas dois meses de sobra, e nenhum Grand Slam por disputar, restam apenas dois Masters 1000 e o culminar da época no World Tour Finals como torneios de maior nomeadas no calendário, e as superfícies irão variar entre piso duro Indoor (Europa) e piso duro outdoor (Ásia).

Avaliar fadiga é fundamental no pós-Taça Davis


Antes de avançarmos para a Ásia, temos dois torneios de fraca importância esta semana em Metz e St Petersburg, e como sempre após uma semana de Taça Davis, há considerações a ter em relação aos jogadores que tiveram partidas duras ou viagens longas durante o fim-de-semana.

Um exemplo de um jogador que teve de voar longas distâncias é Guido Pella, com o argentino a voar do seu país natal até à Rússia - certamente não directamente - antes do seu embate da primeira ronda frente a um qualifier em St Petersburg. No anos anteriores, mais jogadores tiveram o hábito de jogar imediatamente após longas jornadas na Taça Davis, com muitos deles agora mais conscientes do efeito que isso tem nos seus corpos, tornando-se assim menos comum.

Lentas condições antecipadas na Rússia


As condições de jogo em St Petersburg devem estar bem lentas para um torneio indoor. Ao longo dos últimos três anos no circuito ATP, 80.3% dos jogos de serviço foram assegurados, mas este registo desce para 77.1% aqui. Além disso, os 0.41 ases por jogo ficam abaixo da média, 0.15 ases por jogo abaixo do habitual neste tipo de piso.

Com isto em mente, é improvável que os grandes servidores possam beneficiar destas condições, pelo menos comparando com outros locais indoor, e honestamente, não existe grande abundância deles na lista de inscritos. Mas Denis Shapovalov é um exemplo, e eu sinto que o canadiano tende a fazer os seus melhores jogos em pisos mais rápidos - talvez ele tivesse tivesse melhor sorte se optasse por Metz, assumindo que não existiam outros factores a pesar na sua decisão (por exemplo, Rússia é mais perto da Ásia que a França).

Olhando à lista de inscritos, é perceptível que os grandes servidores não têm prosperado. Esta década, apenas Milos Raonic é um vencedor que se enquadra nesse perfil, com a final do ano passado a disputar-se entre Damir Dzumhur e Fabio Fognini - jogadores claramente orientados para a resposta.

Faz sentido ir contra Cecchinato no 2º Quarto do quadro


O sorteio é interessante de analisar, com o 2º quarto a merecer honras de abertura. Marco Cecchinato é o cabeça-de-série com lugar na 2ª ronda, mas o italiano não tem registos assinaláveis longe da terra batida, apesar de poder beneficiar de condições um pouco mais lentas que o normal. Ir contra o italiano é certamente um pensamento primordial.

No entanto, a questão chave é com quem o fazer. Roberto Bautista-Agut seria a escolha lógica em circunstâncias normais, mas o espanhol não está em boa forma e vem de uma maratona na Taça Davis frente a Lucas Pouille. Talvez Marcos Baghdatis, a enormes [34.00], vale a pena ser considerado numa opção each-way. O cipriota, apesar do declínio, continua a ter dados combinados de pontos no serviço/resposta acima de 100% em piso duro outdoor/indoor este ano, e tendo em conta a acessibilidade do seu sorteio no segundo quarto, ele parece uma opção interessante de preço elevado.

Apesar da presença de alguns qualifiers, a parte inferior do quadro parece ter maior profundidade, com alguns sólidos competidores em indoor misturados com jovens talento, assim como um potencialmente ressurgente Stan Wawrinka, portanto uma pequena aposta em Baghdatis é a nossa escolha na Rússia.

Especialistas indoor podem brilhar em Metz


Avançando para Metz, as condições tendem a ser bem mais rápidas, com 82.3% dos jogos de serviço assegurados nos últimos três anos e um elevado registo de 0.64 ases por jogo. Certamente, que os grandes servidores irão preferir as condições aqui por comparação ás da Rússia.

Isto é evidenciado pelos anteriores vencedores do torneio, com tenistas com bons registos em pisos indoor como Lucas Pouille, David Goffin e Jo-Wilfried Tsonga entre os vencedores.

Nishikori e Gasquet vulneráveis no topo do mercado


O cabeça-de-série Kei Nishikori é favorito a [3.75] após uma sólida demonstração no US Open, com Richard Gasquet pouco atrás a [4.33]. Será interessante ver como Nishikori se irá apresentar, tendo em conta o seu potencial embate na 2ª ronda com os ex-vencedores Peter Gojowczyk e o já mencionado Tsonga (que não está nas melhores condições há algum tempo). O wild card Ugo Humbert também é um jogador de grande potencial nesta secção do quadro.

Quanto a Gasquet, ele tem um sorteio favorável no terceiro quarto sem qualquer nome sonante exceptuando um Gilles Simon em declínio. No entanto, também não estou convencido que ele esteja na melhor forma, tendo em conta que só venceu dois jogos (como claro favorito) desde que desistiu na segunda ronda de Hamburgo há dois meses.

Especialista Indoor Pouille com boa hipótese no 2º quarto


No último quarto, Stefanos Tsitsipas é o favorito com lugar na segunda ronda mas ainda tem muito a provar em indoors, e pode ser testado por vários tenistas de baixo perfil na sua secção como Max Marterer, Adrian Mannarino ou Marton Fucsovics, e com tantas dúvidas sobre muitos jogadores, o jogador que eu prefiro em relação aos outros é Lucas Pouille no segundo quarto.

O francês está isento na primeira ronda e tem um belo registo em piso indoor (109.1% combinados nos últimos 12 meses), mas o Sportsbook não está a correr quaisquer riscos ao avalia-lo como terceiro favorito a [7.00]. Se ele estivesse um pouco mais alto poderia ser o melhor do pior aqui no Nordeste de França.


APOSTA RECOMENDADA:
Marcos Baghdatis each-way [34.00] em St. Petersburg

Ver mercado