Apostas ATP Tour Semana 8: 'Outsider' Thompson pode valer uma moeda

Juan Martin Del Potro regressa aos courts em Delray Beach
Ver mercado

Temos mais três torneios a decorrer esta semana no circuito ATP, e de regresso para prever a acção, está o nosso colunista de ténis Dan Weston...

"Tal como em Marselha, é difícil escolher uma boa opção para o torneio - mas já vi piores opções que Jordan Thompson a [51.00] em Desportos. O australiano não tem trazido o seu melhor ténis para os eventos ATP, mas o seu nível de Challenger é elevado, e ele foi quarto finalista nos últimos dois torneios que disputou no circuito, perdendo para opositores de grande nível em ambas as ocasiões."

Vitória de Opelka ilustra ténues margens para sucesso em torneios


Gael Monfils, Reilly Opelka e Marco Cecchinato foram os vencedores dos eventos da semana sete do circuito, com Opelka a vencer o seu primeiro título ATP aos 21 anos de idade, em Nova Iorque. O grande servidor norte-americano disputou 13 sets, e venceu cinco de oito tiebreaks, ilustrando claramente as pequenas margens e muitas vezes variância necessária para vencer jogos e torneios ao mais alto nível.

Servidores têm dominado em Marselha


Um dos eventos da semana acontece em Marselha, com início esta segunda-feira a partir das 14 horas portuguesas com três partidas de primeira ronda num começo pouco atractivo de torneio. As condições tendem a ser rápidas para piso Indoor aqui, com 81.7% dos jogos de serviço a serem assegurados ao longo dos últimos três anos, e 0.69 ases por jogo de serviço - ambos acima da média ATP neste tipo de superfície.

Com base nisso, os servidores presentes no evento tendem a ser favorecidos, e isto é demonstrado pelos vencedores nos últimos cinco anos, com apenas Gilles Simon (2015) a triunfar como jogador orientado para a resposta. Dos finalistas nesse período, também só podes sugerir que Gael Monfils, derrotado por Simon no tie break do set final no ano passado, como potencialmente jogador orientado para a resposta.

Dados de resposta são preocupação para Tsonga


O torneio parece realmente em aberto, com Jo-Wilfried Tsonga ligeiramente favorito no Intercâmbio, a [6.20], e Stefanos Tsitsipas e Borna Coric por perto no mercado a [6.60] e [7.80]. Tsonga venceu o torneio em três ocasiões, e também foi finalista em 2014, no entanto estou preocupado com os dados do francês na resposta ao serviço após o seu regresso ao circuito vindo de lesão prolongada. Ele deve gostar das condições de jogo aqui, assim como o local em geral.

Muitas questões em volta dos líderes do mercado


A metade superior do quadro de Tsitsipas inclui elementos como Gael Monfils, David Goffin e o já mencionado Simon, enquanto a metade inferior parece menos concorrida, com vários favoritos com diversas questões - Coric, Shapovalov e Tsonga. Coric tem registo de 6-8 em indoors nos últimos dois anos, enquanto Shapovalov parece estar a reverter para um nível equivalente em termos de dados de serviço/resposta para o período antes de ter disparado na época passada.

Eu acredito que a metade superior do quadro terá o vencedor do torneio, mas é difícil apontar um jogador em particular, com o meu pensamento em Tsitsipas a ser de que ele é sobrevalorizado com base nos seus dados, enquanto Monflis pode estar fatigado após vencer em Roterdão. Goffin continua a não dar sinais de estar a 100% fisicamente.

Norte-americanos com sucesso recente em Delray Beach


Passando aos Estados Unidos, temos um evento 250 de piso duro ao ar livre em Delray Beach, Flórida, com os últimos três vencedores do torneio - Frances Tiafoe, Jack Sock e Sam Querrey - todos americanos. As condições parecem medianas para um court ao ar livre em piso duro, com números muito idênticos à média ATP nessa superfície.

O cabeça-de-série Juan Martin Del Potro e 2º favorito John Isner são fortes favoritos no mercado, com o Intercâmbio a colocá-los a cerca de [4.50] para vencer o torneio. Um pouco mais abaixo segue-se Nick Kyrgios, a [9.00], e o detentor do título Tiafoe, a [10.50]. Pouco típico num torneio de nível 250, não temos cabeças-de-série isentos, portanto o vencedor terá de superar cinco adversários para erguer o troféu.

Del Potro de regresso após quatro meses de ausência


Del Potro tem os melhores dados estatísticos de todos os jogadores por larga margem (acima de 115% de combinado serviço/resposta) mas não joga uma partida competitiva desde a derrota para Borna Coric em Shanghai no início de Outubro. Poderá precisar de alguns jogos para ganhar velocidade, e um embate na segunda ronda com o vencedor da semana passada em Nova Iorque, Opelka pode ser um duelo complicado.

Isner está no último quarto do quadro, como 2º favorito, e teve sorte - não enfrentará um top-100 até pelo menos aos quartos de final - portanto o seu estatuto como um dos favoritos justifica-se, enquanto o terceiro quarto de Tiafoe parece interessante. Existem aqui alguns jogadores muito equivalentes, tal como Andreas Seppi, Bernard Tomic, Jordan Thompson e George Harris, enquanto um Dan Evans em evolução pode também ser um jogador difícil para o campeão em título logo na primeira ronda.

Thompson pode valer aposta a valor enorme


Tal como em Marselha, é difícil escolher uma boa opção para o torneio - mas já vi piores opções que Jordan Thompson a [51.00] em Desportos. O australiano não tem trazido o seu melhor ténis para os eventos ATP, mas o seu nível de Challenger é elevado, e ele foi quarto finalista nos últimos dois torneios que disputou no circuito, perdendo para opositores de grande nível em ambas as ocasiões. Uma aposta each-way de valor exagerado pode ser a melhor opção aqui.

Jogadores orientados para resposta devem brilhar no Rio


Para terminar, espero um pó-de-tijolo bem lento no Rio de Janeiro a assistir as intenções dos jogadores mais virados para a resposta. O torneio já leva cinco anos de existência, desde 2014 para cá, e em todas as ocasiões tivemos vencedores especialistas em terra batida. Na verdade, apenas Aleksandr Dolgopolov e Fernando Verdasco, dos finalistas, não são propriamente fãs desse piso.

Thiem mais ajustado que na semana passada


Tal como foi na semana passada, o 1º cabeça-de-série Dominic Thiem é claramente favorito a vencer o torneio. Eu mencionei na semana passada que ele parecia muito curto, a [2.20] em Desportos, e o mercado continua inclinado para o austríaco, embora agora um pouco mais alto a [2.40], e a [2.86] no Intercâmbio.

Ele tem aqui um sorteio bem mais acessível do que teve na Argentina na semana passada, com Guido Pella, João Sousa, Marco Cecchinato, Aljaz Bedene e Nicolas Jarry a juntarem-se no quarto superior, e após a sua retirada no Open da Austrália em meados de Janeiro, ele pode beneficiar dos três jogos disputados na semana passada. Eu não seria um grande fã de Thiem a este preço, mas pelo menos parece a preço mais razoável do que na semana passada.

Difícil confiar na inconsistência de Fognini


A metade inferior do sorteio é francamente competitiva, com Federico Delbonis, Pablo Cuevas, Diego Schwartzman, Dusan Lajovic e Fabio Fognini todos com bons registos em terra batida. Fognini e Schwartzman parecem os principais candidatos, no entanto o argentino joga com Cuevas na primeira ronda num brutal desafio para um torneio de nível 500.

A grande questão é se Fognini pode ser confiado a cerca de [8.00]. O italiano adora lentas condições de jogo em terra batida, mas a sua inconsistência é impressionante. Ele perdeu consecutivamente na estreia em dois torneios nesta superfície na América do Sul nos últimos quinze dias, mas é bem capaz de arrancar para uma grande campanha aqui. Ainda assim, aos preços disponíveis, é difícil ficar do lado de Fognini.


APOSTA RECOMENDADA:
Jordan Thompson em each-way @ [51.00] para vencer em Delray Beach (Desportos)

Redação,