Apostas Open de França Dia Cinco: Klizan subestimado em confronto com Pouille

Martin Klizan parece subestimado pelos mercados diante de Lucas Pouille

A acção da segunda ronda no Open de França conclui-se no dia cinco, e após outra aposta vencedora na quarta-feira, o nosso colunista de ténis, Dan Weston, regressa com as opiniões do dia...

"Temos de recuar até 2017 para encontrar um ano em que Pouille tenha melhores dados nesta superfície do que Klizan e combinando as temporadas de 2018 e 2019, Pouille apresenta um registo de 5-9 em torneios do circuito principal em terra batida, com dados combinados de serviço/resposta de 97.8%."

Outsiders deram que fazer ao quarto dia


Com o dia de ontem talhado para não-favoritos, as três ousadias que mencionei conseguiram todos manter as coisas bem competitivas. A nossa recomendação, Jo-Wilfried Tsonga, nunca esteve em perigo no handicap de jogos contra Kei Nishikori, que precisou de uma baixa conversão de pontos de break por parte do seu rival gaulês para prevalecer num renhido embate de quatro sets que poderia ter pendido para qualquer dos lados.

Para além disso, Hugo Dellien levou Stefanos Tsitsipas a quatro sets e num embate dramático, Pierre-Hugues Herbert parecia a caminho de mais uma recuperação dramática após se ver a perder por 2-0, mas sucumbiu por 11-9 no set decisivo frente a Benoit Paire.

O único encontro onde a minha suspeita de que um não-favorito poderia surpreender foi no duelo Cristian Garin vs Stan Wawrinka. Olhando à minha 'timeline' do Twitter, Garin, que atingiu grande sucesso na terra batida este ano, foi certamente uma escolha consensual entre muitos. Apesar da sua pesada derrota, será interessante ver onde estarão os dois jogadores daqui a um ano.

Zverev com duelo interessante diante de Ymer


Olhando para a acção desta quinta-feira, que apurará os últimos 16 a seguirem para a terceira ronda, temos vários nomes sonantes como destacados favoritos. Dominic Thiem, Novak Djokovic e Juan Martin Del Potro estão todos abaixo de 1.101/10, enquanto Alexander Zverev, acabado de vencer em cinco sets diante de John Millman na terça-feira, está um pouco acima disso, frente a Mikael Ymer.

O jovem talentoso tenista sueco parece num patamar idêntico a outro escolhido para grandes coisas - Jannik Sinner - pois têm um excelente jogo de resposta, mas um serviço que tende a ser exposto pelos jogadores de elite.

Com base nos dados de Ymer ao nível Challenger, fico com a ideia de que ele assegura cerca de 65% dos seus serviços e quebra em 31% das ocasiões - convertendo para circuito ATP - o que seria suficientemente bom para se tornar competitivo em eventos de menor nomeada e rondas iniciais de torneios maiores, e claro, ele está ainda numa fase de crescimento. No entanto, seria precisa uma grande surpresa para ele superar Zverev esta tarde, tendo em conta que tem um serviço abaixo do normal e que Zverev é muito forte na recuperação de breaks abaixo.

Karlovic pode surpreender mercado contra Thompson


Não existe grande abundância de valor no quadro masculino para hoje, na verdade, com apenas dois lugares abertos para discussão, não estou propriamente entusiasmado - hoje certamente parece um dia em que deves manter as tuas apostas baixas.

Ivo Karlovic não tem jogado muito em terra batida este ano, portanto é difícil saber como está, mas ele passou um Feliciano Lopez em declínio na primeira ronda. Este triunfo num encontro obviamente orientado para o serviço ofereceu-lhe um duelo com Jordan Thompson, que também é relativamente limitado no pó-de-tijolo.

Há aqui muitas intangíveis, mas como não-favorito de 2.568/5 frente a um jogador frágil nesta superfície, eu espero que Karlovic dê muito que fazer ao seu rival naquele que pode ser o seu último Open de França.

Klizan pode bater Pouille como não-favorito


O nosso outro encontro também tem alguns intangíveis, com Martin Klizan a parecer muito subestimado a 3.2011/5 contra Lucas Pouille. Sim, Klizan jogou um encontro de cinco sets na primeira ronda, mas não foi demasiado longo (só um set passou de 5-5) e ele tem claramente capacidade para jogar em terra batida.

Na verdade, temos de recuar até 2017 para encontrar um ano em que Pouille tenha melhores dados nesta superfície do que Klizan e combinando as temporadas de 2018 e 2019, Pouille apresenta um registo de 5-9 em torneios do circuito principal em terra batida, com dados combinados de serviço/resposta de 97.8%.

Tendo isto em conta, torna-se difícil encontrar razões para pensarmos que Pouille está no seu melhor actualmente, e também vale a pena notar que antes do Open de França, as suas últimas duas derrotas, em Madrid e Roma, encerraram com derrotas claras para Hubert Kurkacz e Matteo Berrettini.

Embora Klizan possa não estar no seu pico de condição física aqui, eu sinto que ele merece uma aposta aos preços actuais.


APOSTAS RECOMENDADAS:
Martin Klizan para bater Lucas Pouille @ 3.2011/5 no Intercâmbio

"Se gostou de nosso artigo, compartilhe em suas redes sociais"