Taça Davis

Apostas Taça Davis 2015: Argentina com fortes possibilidades de derrotar a Sérvia

Mayer venceu uma autêntica maratona no seu último encontro de Taça Davis

"Leo Mayer, Diego Schwartzman, Federico Delbonis e Carlos Berlocq parecem uma equipa sólida em casa na terra batida e parece-me que será pedir demasiado a Troicki apresentar-se a grande nível depois de 14 encontros em relva."

Argentina para vencer a Sérvia @ 1.501/2

A Taça Davis chega aos Quartos de Final este fim-de-semana, e Sean Calvert tem duas apostas em mente para os dias vindouros...

A Taça Davis está sempre muito dependente das condições físicas e disponibilidade dos melhores atletas de cada país e da forma como o ano decorre em termos de circuito ATP.

A título de exemplo, a minha aposta de longo termo no Canadá a 9.008/1 para vencer o torneio disparou para 51.0050/1 depois de quer Vasek Pospisil quer Milos Raonic terem contraído problemas físicos que os afastarão do duelo deste fim-de-semana com a Bélgica.

A Sérvia perdeu Novak Djokovic que acaba de vencer em Wimbledon pelo segundo ano consecutivo e terão de lidar com os argentinos sem a sua estrela.

A Austrália tem de se safar sem Bernard Tomic que entrou em litígio com a Tennis-Australia e preferiu jogar em Newport - embora não tenha tido sucesso pois foi afastado logo na 1ª Ronda, e ironicamente, por outro australiano, John-Patrick Smith.

Mas continuamos a ter o Cazaquistão como aposta "outsider" a 175.00 e eles estão pouco cotados para derrotar os australianos em relva, no entanto acredito que não estejam assim tão fora da disputa pela eliminatória.

Nick Kyrgios parece novamente a contar com problemas físicos e Lleyton Hewitt tem muito pouca energia de sobra, o que deixa apenas Sam Groth e Thanasi Kokkinakis em aberto.

Mikhail Kukushkin pode jogar bem em relva conforme demonstrou diante de Andy Murray e Rafa Nadal em Wimbledon, enquanto Alexander Nedovyesov se qualificou para Wimbledon e foi derrotado por Troicki em quatro sets após uma derrota em cinco sets para Yen Hsun Lu no ano anterior.

Andrey Golubev tem um registo fraco em relva, mas um grande histórico na Taça Davis, e esta formação do Cazaquistão pode beneficiar do ambiente hostil e dos problemas físicos que os jogadores australianos vivem actualmente.

Eles costumam jogar abaixo das suas qualidades nesta prova, e tal tem sido patente no passado recente, para além de também não terem uma consolidada dupla para jogar o encontro de Pares.

E apesar do grande encontro do fim-de-semana ser o Grã-Bretanha X França, acredito que o mesmo não oferece grande valor e prefiro concentrar-me no Argentina X Sériva que decorrerá na terra batida indoor do Tecnopolis em Buenos Aires.

O preço de 1.501/2 a favor dos da casa não é sensacional, mas os anfitriões têm quatro jogadores muito sólidos em terra batida nos seus quadros, e terão ainda um forte apoio do público alvi-celeste agora que se sabe que Djokovic não estará presente.

Isto coloca um grande peso nos ombros de Viktor Troicki, que terá por companhia um fora de forma Janko Tipsarevic e um Dusan Lajovic num momento igualmente negativo.

Tipsy pareceu completamente fora de ritmo na derrota em três sets em Wimbledon para Marcel Granollers e precisa de mais tempo de jogo, enquanto os dois últimos encontros de Lajovic em terra batida resultaram em derrotas com o nº 247 do mundo Laslo Djere e com o 202 Nicolas Kicker em torneios Challenger.

Leo Mayer, Diego Schwartzman, Federico Delbonis e Carlos Berlocq parecem uma equipa sólida em casa na terra batida e parece-me que será pedir demasiado a Troicki apresentar-se a grande nível depois de 14 encontros em relva.

Houve sinais de fadiga quando Troicki insinuou que não jogaria a Taça Davis após uma derrota em cinco sets depois de ter estado dois acima com Pospisil em Wimbledon, e por comparação a equipa inteira da Argentina disputou apenas nove encontros em relva no total.

Mayer jogou seis deles, enquanto Delbonis preferiu vencer um torneio Challenger de terra batida em Milão um dia antes de aterrar em Wimbledon para perderna ronda inaugural e voltar de imediato à Argentina.

Seria irónico que a Argentina, após anos de angustia para vencer a Taça Davis e com jogadores da craveira de David Nalbandian, Juan Martin Del Potro ou Guillermo Coria, agora conseguisse fazê-lo sem qualquer jogador do top-20.

Certamente que a hipótese está aí devido à probabilidade de medirem forças com a Bélgica nas Meias-Finais.

Os belgas negoceiam a 1.051/20 para seguir em frente e não devem ter problemas para derrotar Frank Dancevic e Filip Peliwo em singulares, e seria uma falhanço tremendo para David Goffin e companhia de permitissem aos canadianos remendados seguir em frente.

A melhor possibilidade de apostas de preços elevados será o Cazaquistão, que não estão nada mal a 9.008/1 contra os australianos, mas talvez seja uma hipótese mais viável ficar-me pelos 3.002/1 a favor de um triunfo de Kukushkin perante Kokkinakis no jogo inaugural.

Os cazaques sabem que precisam de entrar bem e não me parece assim tão improvável que Kukushkin possa consegui-lo, pois toda a pressão estará nos ombros do jovem de 19 anos que só disputou três encontros como sénior em relva.

Kokky parece estar a um preço pouco razoável na sua segunda aparição em jogos de singulares da Taça Davis e o valor estará do lado do experiente e competente Kukushkin neste tipo de provas.


Apostas Recomendadas:
Argentina para vencer a Sérvia @ 1.501/2
Kukushkin para vencer Kokkinakis @ 3.002/1